Página Inicial  > Preparação da demonstração de resultados financeiros – conceitos básicos
 Partilhar  Versão para impressão  Correio Electrónico

Outras traduções

Preparação da demonstração de resultados financeiros – conceitos básicos

Provided by SME.com.ph

A demonstração dos resultados (também chamada de demonstração de "lucros e perdas")

A demonstração dos resultados mostra os resultados financeiros das actividades desenvolvidas num período específico.  Considere-a um “diário” do que foi realizado, digamos, num período de 12 meses (por exemplo, “No exercício encerrado em 2005”).  Pela demonstração de resultados, é possível determinar o nível de lucro ou perda, pois o montante recebido pela venda de bens e serviços e outras fontes de receita são correlacionados com todos os custos e despesas que incorrem no fornecimento desses produtos e serviços.  Os principais elementos de uma demonstração de resultados são:

  •  vendas líquidas – representam a fonte primária de dinheiro recebido pela empresa dos seus clientes pela venda de bens ou serviços fornecidos.  As vendas líquidas cobrem o montante recebido após a consideração dos produtos devolvidos e abatimentos para redução de preços.
  • CMVMC e despesas operacionais – todos os custos de produção (inclusive a amortização) para transformar as matérias-primas em produtos acabados. 
  • resultados operacionais – vendas líquidas subtraindo todos os custos operacionais. 
  • receita de juros – fonte adicional de receita gerada através de investimentos. 
  • despesa de juros – juros pagos a credores. 
  • imposto sobre o rendimento – montante do imposto sobre o rendimento em dívida às entidades tributárias.

Balanço

O balanço apresenta a situação financeira de uma empresa a partir de uma data específica, uma espécie de “síntese” (por exemplo, desde Dezembro de 2005).  Trata-se de um relatório sobre os recursos financeiros (activo) disponíveis para que a empresa desempenhe tanto as suas actividades económicas, como as obrigações (passivo) em virtude dos seus recursos.  A diferença entre o activo e o passivo é o total do capital próprio.  Conforme a equação fundamental da contabilidade: Activo = Passivo + Capital Próprio.

As principais rubricas do balanço são as seguintes:

  • activo – recursos económicos de uma empresa, como edifícios, equipamentos, terrenos, veículos motorizados, valores em dívida dos clientes (dívidas de terceiros), propriedade industrial e depósitos bancários.   
  • passivo – obrigações económicas de pagamento definitivo ou com pagamentos razoáveis no futuro.  São as obrigações da empresa junto dos credores.
  • capital próprio – interesses residuais do património dos accionistas.
     
    As rubricas específicas do balanço são:
  • Activo corrente – compreende o valor em caixa e os activos que, no curso normal do negócio, se transformarão em caixa, geralmente dentro de um ano a contar da data do balanço.  Consiste na caixa, títulos mobiliários (ou investimentos temporários), dívidas de terceiros, existências e despesas pagas antecipadamente (pagamentos adiantados, como seguros, dos quais a empresa ainda não recebeu benefícios).  Portanto, o activo corrente é, na sua maioria, activo circulante, no sentido de que está constantemente a ser convertido em caixa.
  • Activo fixo – também chamado de imobilizado, representa o activo que não está destinado à venda, mas que é usado uma e outra vez de forma a fabricar, expor, armazenar, transportar o produto, etc.  O activo fixo consiste, geralmente, em terrenos, edifícios, maquinaria e equipamentos de escritório.
  • Amortização – definida para fins contabilísticos como o declínio no valor útil de um activo fixo devido ao desgaste pelo uso e passagem do tempo.  O activo fixo também pode perder o valor útil por obsolescência causada por novas invenções e adopção de tecnologias mais avançadas.  O custo incorrido na aquisição de imobilizado deve ser distribuído pela vida útil prevista.  O método mais usual é a amortização linear.  Os terrenos não estão sujeitos a amortização.
  • Passivo corrente – compreende, geralmente, todas as dívidas a liquidar no ano seguinte. Os pagamentos de dívidas correntes têm origem, em geral, nos activos circulantes da empresa.
  • Dívidas a terceiros – representam os valores que a empresa deve aos seus credores regulares, e aos quais comprou produtos ou serviços.
  • Títulos a pagar – valores em dívida a um banco ou outro financiador (o qual recebeu uma nota promissória escrita do mutuário). 
  • Acréscimo de custos – podem incluir salários e remunerações a pagar a funcionários, juros sobre fundos de empréstimos bancários, prémios de seguro e rubricas similares.  À medida que os valores em dívida não sejam liquidados na data do balanço, esses despesas serão agrupadas como um acréscimo de custos. 
  • Imposto sobre o rendimento – valores em dívida às entidades tributárias.
  • Passivo a longo prazo – dívidas a liquidar um ano após a data do relatório financeiro.

É aconselhável preparar regularmente a demonstração dos resultados e o balanço, a fim de elucidar o empresário na tomada de decisões críticas a respeito de negócios.  Estão disponíveis uma série de soluções tecnológicas para ajudar o empresário a gerar esses relatórios financeiros.

Copyright © 2016, SME.com.ph. All Rights Reserved.
 Partilhar  Versão para impressão  Correio Electrónico
ComentáriosAvaliações (0)
If you are a human, do not fill in this field.
Clique nas estrelas abaixo para avaliar este item
   Os comentários serão truncados para 1000 carácteres