Página Inicial  > Portugal - Panorama
 Partilhar  Versão para impressão  Correio Electrónico

Outras traduções

Portugal - Panorama

Contents extracted from the comprehensive atlas of international trade by Export Entreprises

Introdução

Capital:: Lisboa
Área:: 92 km2
População total:: 10.736
Taxa de crescimento anual:: 0.23%
Densidade:: 115.94/km2
População urbana:: 59%
População de Lisboa (2.550), Porto (1.220), Vila Nova de Gaia (290), Amadora (170), Matosinhos (170)
Língua oficial: Em Portugal, o idioma nacional o português.  
Outras línguas faladas: O espanhol, o francês e o inglês são os idiomas estrangeiros mais conhecidos e utilizados nos negócios.  
Língua de negócios: De acordo com a idade do seu contacto: com menos de 40 anos, o português dever falar inglês. Se o seu contacto tiver mais de 40 anos, provavelmente falar francês.
Cada vez mais pessoas falam espanhol.
Origens étnicas:: Uma mistura de povos celtas e latinos, com minorias africanas e asiáticas.  
Crenças: Católicos: 95%  
Indicativos telefónicos:
Para fazer um telefonema de: 00
Para fazer um telefonema para: +351
Sufixo da Internet:: .pt
Tipo de governo::
  Nome oficial: República Portuguesa.
  Portugal uma república baseada numa democracia parlamentar. A constituição estabelece um regime "se-mi-presidencial" para o país.
Tipo de economia::
Economia de elevado rendimento, membro da OCDE

Panorama Económico

  Desde que aderiu União Europeia em 1986, Portugal tem desfrutado de um considerável progresso económico, principalmente devido ao aumento de comércio internacional com outros países membros. Desde 2005, o país embarcou numa política de estabilização das contas públicas, estabelecimento de reformas de mercado livre e dinamização de exportações (diversificação de mercados, especialmente com a Angola e a China). No entanto, Portugal foi afectado pela crise financeira internacional.  

Desde o início de 2009, Portugal caiu numa profunda recesso devido ao colapso da procura externa e a condições financeiras restritivas que afectaram todos os sectores da economia, especialmente as exportações e os investimentos. O crescimento caiu em 2009 e o desemprego excedeu os 9%. O Estado teve de nacionalizar um dos principais bancos do país, o Banco Portugues de Negocios. Devido ao aumento da despesa pública para suportar a economia, a situação orçamentária deteriorou-se bastante em 2009. Entretanto, a estabilização orçamentária e reformas estruturais serão essenciais para melhorar as perspectivas de crescimento, reduzir o desemprego a longo prazo e ajudar e reforçar a sustentabilidade das finanças públicas.

Principais Indústrias

  O sector agrícola menos mecanizado do que na maioria dos países europeus ocidentais e, consequentemente, menos produtivo. A agricultura representa cerca de 3% do PIB. As principais culturas são cereais, fruta, legumes e vinho. As exportações de Vinho do Porto representam 1,4% do total de exportações. Portugal tem muitos recursos naturais. O sector de extracção mineira (cobre e lata) representam 6% do PIB e Portugal um dos principais exportadores de mármore. Portugal fornece uma grande poro do fornecimento de cortiça mundial.
  A indústria transformadora moderna e constituída por pequenas e médias empresas. Os seus principais sectores de actividade são a metalurgia, engenharia mecânica, têxteis e construo. Para além disso, o país tem aumentado o seu papel no sector automóvel europeu e possui uma indústria de fabrico por molde da mais alta qualidade.
  Os serviços, particularmente o turismo, desempenham um papel cada vez mais importante. O sector terciário contribui para mais de 70% do PIB.  

Panorama Geral do Comércio Externo

  A adesão UE alterou a estrutura das importações e exportações portuguesas. O país exporta cada vez mais equipamento tecnológico, em vez dos tradicionais produtos agrícolas ou de produtos têxteis e vestuário.
A UE seguramente o principal cliente de Portugal, seguida pelos Estados Unidos.
  Portugal apresentou um défice na balança comercial em 2008 e 2009, mas esta tendência dever inverter-se em 2010.  

IDE

  O governo considera o Investimento Estrangeiro Directo (IED) em Portugal uma prioridade. A partir de 2007, o fluxo do IED entrou em queda, depois de vários anos de crescimento. Em 2009, alcançou apenas um terão dos investimentos efectuados durante 2006.  No entanto, o país embarcou recentemente no desenvolvimento de energias renováveis, nomeadamente energia solar (o país tem a segunda maior estão de energia solar do mundo) e energia das ondas (energia obtida do movimento das ondas do mar). Este sector pode oferecer novas oportunidades ao investimento estrangeiro.  
Copyright © 2016 Export Entreprises SA, Inc. All Rights Reserved.
 Partilhar  Versão para impressão  Correio Electrónico
ComentáriosAvaliações (0)
If you are a human, do not fill in this field.
Clique nas estrelas abaixo para avaliar este item
   Os comentários serão truncados para 1000 carácteres