Partilhar  Versão para impressão  Correio Electrónico

Outras traduções

Netherlands - Comprar e vender

Contents extracted from the comprehensive atlas of international trade by Export Entreprises

Atrair a Atenção dos Consumidores

Oportunidades de Marketing

Comportamento do consumidor: Os consumidores holandeses tendem a valorizar a qualidade e, quando vêm que o preço corresponde qualidade, no hesitam em comprar. Normalmente no favorecem os produtos holandeses relativamente a correspondentes estrangeiros. Os consumidores holandeses são sensíveis a anúncios e boas campanhas publicitárias têm um grande efeito nas Vendas.  
Perfil do consumidor: O consumidor holandês tem muito dinheiro para gastar, mas no o gasta com facilidade. Por natureza, tende a resistir a novidades, o que significa que prefere produtos que j conhece a novos produtos. Ultimamente, tem havido muita publicidade ambientalista que tem aumentado a vontade do consumidor holandês de comprar produtos amigos do ambiente.  
Principais agências publicitárias:

Rede de Distribuição

Evolução do sector: Em 2004, o comércio a retalho foi avaliado em 79,2 biliões de euros, uma descida de 2,1%, relativamente a 2003.  
Tipos de pontos de venda: Comparável ao de outros países europeus. dominado por grandes grupos como o Ahold, que controla 42% do mercado de distribuição de alimentos, seguido pelo grupo Laurus, que detêm 17% (a marca Laurus está em vias de desaparecer, em benefício da marca francesa Casino, que possui actualmente 38,7% do grupo Laurus). Apesar do desenvolvimento de grandes supermercados, os consumidores holandeses continuam a preferir lojas de bairro, o que permite que pequenos supermercados e lojas especializadas retenham uma considerável fatia do mercado de distribuição holandês.
  O mercado de desconto está também a crescer, aumentando de 10% em 2003 para 13% em 2004.
  No sector de produtos no alimentares, marcas internacionais e holandesas coexistem e todas elas se encontram bem estabelecidas. No sector têxtil existem a C&A e a Maxeda, e no sector mobiliário a Blokker, que uma marca nacional.
Organizações nos sectores:

Procedimentos de Acesso ao Mercado

Cooperação económica: Membro da Uniao Aduaneira da Unio Europeia e com numerosos acordos multi e bilaterais.
Barreiras não relacionadas com as pautas aduaneiras: A Holanda, membro da Uniao Europeia, aplica as suas regras. Embora a UE tenha uma política comercial estrangeira bastante liberal, existe um certo número de restrições, especialmente para produtos agrícolas, no âmbito da implementação da PAC (Política Agrícola Comum): a aplicação de compensações na importação e exportação de produtos agrícolas, com o objectivo de favorecer o desenvolvimento da agricultura na UE, implica um certo número de sistemas de controlo e regulamentação para os bens que entram no seu território.
  Para além disso, por razões sanitárias, no que respeita a Organismos Geneticamente Modificados, a sua presença deve ser sistematicamente especificada nas embalagens. A importação de gado criado com hormonas para produção de carne também proibida.
  A crise da BSE ("doença das vacas loucas") levou as autoridades europeias a endurecer as medidas fitossanitárias para garantir a qualidade das carnes que entravam e circulavam no seu território. O princípio de precaução está hoje amplamente difundido: em caso de dívida, a importação proibida até que seja provada a inocuidade dos produtos.  
Direitos aduaneiros médios (excluindo produtos agrícolas): A Holanda tem (como membro da União Europeia) uma das médias mais baixas de direitos aduaneiros com 4,17%.  

Descriminacao dos direitos aduaneiros por classificacao e por produto

Classificação alfandegária : Sistema harmonizado de alfândegas.  
Procedimentos de importação: A liberalização da livre circulação confere a bens no comunitários o estatuto de bens comunitários. O artigo 79 (2) do Código Aduaneiro (Customs Code, CC) esclarece que a liberalização da livre circulação obriga: cobrança de imposto aduaneiro sobre bens tributáveis de acordo com a Tarifa Aduaneira Comunitária e quando no existir isenção aplicável, e aplicação de medidas de política comercial (tais como a apresentação de uma autorização de importação para bens sujeitos a quotas), assim como a quaisquer outras formalidades determinadas para a importação desses bens (tais como a apresentação de certificados de saúde para certos animais).  

Para mais informações sobre procedimentos de importação, consultar o website da Comissao Europeia.

Website das Alfândegas: Tributacao e Alfndega Europeias

Organização do Transporte de Bens

Organização do transporte de bens da origem para o destino e vice-versa: Roterdo o primeiro porto da Europa e um dos mais importantes em todo o mundo: em 1998, registou 315 milhões de toneladas de bens. Prevê-se que este número atinja os 480 milhões em 2020. A Holanda tem uma rede interna de canais navegáveis que se estende por 5.046 km, e que transporta um considerável volume de bens. O outro porto importante o de Amesterdo. Em 1997, o transporte através das vias fluviais representava apenas 19% do tráfego de bens no mercado interno, comparado com 64% no mercado internacional, o que revela o enorme potencial a ser explorado a nível nacional. Em geral, o objectivo do governo promover o transporte marítimo em vez do transporte rodoviário.

  Existem poucas linhas domésticas, devido ao tamanho reduzido do país. A KLM oferece uma rede internacional com preços competitivos.  

 

A moderna e vasta rede de estradas do país. A capacidade das estradas por vezes insuficiente para a densidade do tráfego, resultando frequentemente em engarrafamentos. O ministério que tutela o transporte e o tráfego, empresas de telecomunicações, gestão de águas e aviação (Ministerio dos Transportes, Obras Publicas e Gesato das aguas), tem planeado um certo número de investimentos para o melhoramento das infra-estruturas rodoviárias, tais como o projecto "Bereikbaarheidsoffensief ". Este projecto fará com que quatro grandes cidades sejam mais bem servidas, graças a introdução de auto-estradas com portagem, em fase experimental.

  Desde 1985, quando o transporte de bens diminuiu em consequência do surgimento do transporte rodoviário. Em 1993, os caminhos-de-ferro transportaram 4,79 milhões de toneladas de bens. O governo planeia agora uma ligação por comboio rápido entre as quatro grandes cidades.

Listas Comerciais Nacionais

Copyright © 2016 Export Entreprises SA, Inc. All Rights Reserved.
 Partilhar  Versão para impressão  Correio Electrónico
ComentáriosAvaliações (0)
If you are a human, do not fill in this field.
Clique nas estrelas abaixo para avaliar este item
   Os comentários serão truncados para 1000 carácteres