Página Inicial  > A Empresa Familiar Tornando-se Pública - Porquê Tornar-se Pública? Porquê Não?
 Partilhar  Versão para impressão  Correio Electrónico

Outras traduções

A Empresa Familiar Tornando-se Pública - Porquê Tornar-se Pública? Porquê Não?

Provided by IFC Corporate Governance


Muitas empresas familiares tomam a decisão de se tornarem públicos em algum estágio da vida da empresa no sentido de assegurar os recursos financeiros para a expansão do negócio ou para dar aos seus accionistas a oportunidade de venderem as suas acções no caso de assim o preferirem. Tornar-se público é um processo complexo que requer uma consideração cuidadosa das alternativas, a maior parte da preparação do conselho de administração e da direcção é extensivo, fora do aconselhamento dos especialistas. Tornar-se público também é uma decisão que apresenta muitas vantagens e desvantagens à empresa familiar.

Vantagens da Empresa Familiar em Tornar-se Pública[1]

Tornar-se pública pode oferecer várias vantagens às empresas familiares e aos seus accionistas incluindo:

Acções com Mercabilidade Melhorada: Isto torna possível aos accionistas familiares venderem as suas acções ao preço accionário predominante no mercado. Isto também faz com que seja mais fácil para os accionistas usarem as suas acções como garantias para obter crédito. Como resultado, a mercabilidade melhorada das acções da empresa reduzem os assuntos familiares na medida em que resolvem as necessidades de liquidez dos accionistas que preferem segurar a sua riqueza em activos do que a sua participação na empresa.

Melhoria da Posição Financeira da Empresa: Este é um resultado directo da venda das acções da empresa ao público. A forte posição financeira faz com que seja mais fácil para a empresa procurar crédito e negociar as condições destes créditos.

Aumento Potencial do Valor das Acções: Muitas destas empresas de propriedade familiar que se tornaram públicas viram o seu preço de acções a subirem acima da estimativa inicial feita pela empresa de investimento bancário. Este aumento em valor deve-se em parte à vontade dos investidores em pagarem um preço mais alto pelas acções da empresa devido à sua maior credibilidade como empresa de pública, à mercabilidade melhorada das acções, e à transparência acrescida das contas.

Maior Visibilidade: Tornar-se pública dá às empresas familiares um prestígio e uma visibilidade acrescida no mercado. As tendências do mercado tendem a olhar para as empresas públicas como profissionalmente geridas e mais transparentes (contas auditadas e publicação periódica de demonstrações financeiras e dados de desempenho). Como resultado, uma empresa familiar que se torna pública poderá aumentar a sua visibilidade no mercado.

Desvantagens da Empresa Familiar em Tornar-se Pública[2]

Tornar-se pública pode causar diversas desvantagens às empresas familiares. Algumas dessas desvantagens são:

Perda de Privacidade: Este provavelmente é o resultado mais mal recebido pelas empresas familiares ao tornarem-se públicas. De facto, uma vez tornada pública, a empresa familiar terá que revelar mais informações do que antes, incluindo: demonstrações financeiras detalhadas e outros dados de desempenho, e qualquer benefício oferecido aos membros da família.

Perda de Autonomia: Esta é uma consequência da chegada de novos accionistas depois da empresa familiar se tornar pública. Até mesmo em casos onde os membros da família continuam a controlar as acções, os accionistas minoritários têm direitos que farão com que se torne difícil para os membros da família trabalharem sem problemas.

Responsabilidade Acrescida: As empresas públicas têm uma maior responsabilidade do que as suas contrapartes. Por exemplo, as empresas públicas têm que ter certeza que toda a informação que fornecem aos seus accionistas e ao mercado é concisa e precisa.

Possibilidade de Dar Continuidade do Negócio: Se um número suficiente de acções tiver sido emitido a pessoas externas à empresa durante o processo de se tornar pública, será possível à concorrência ou a outros investidores ganharem controlo da empresa familiar.

Custos Adicionais: O custo inicial de se tornar público pode ser bastante significativo. Algumas dos elementos potenciais desses custos são: a comissão do segurador, taxas de auditoria, taxas legais, e qualquer custo de registo. Para além disso, uma vez que se torne pública, a empresa incorrerá em custos adicionais tais como taxas de auditoria, revelação periódica de informação dos custos financeiros, e quaisquer outros taxas que sejam requisitos para as empresas de públicas.


[1] Monica Wagen, “Perspectives on Going Public”, Family Business, Spring 1996; Fred Neubauer e Alden G.Lank, The Family Business: its Governance for Sustainability (Routledge Nova Iorque, 1998).

[2] Fred Neubauer e Alden G.Lank, The Family Business: its Governance for Sustainability (Routledge Nova Iorque, 1998).

Copyright © 2016 IFC Corporate Governance.  All Rights Reserved. 

 Partilhar  Versão para impressão  Correio Electrónico
ComentáriosAvaliações (0)
If you are a human, do not fill in this field.
Clique nas estrelas abaixo para avaliar este item
   Os comentários serão truncados para 1000 carácteres