Página Inicial  > Funções dos Membros da Família na Gestão da sua Empresa
 Partilhar  Versão para impressão  Correio Electrónico

Outras traduções

Funções dos Membros da Família na Gestão da sua Empresa

Provided by IFC Corporate Governance


Numa empresa normal não familiar, qualquer pessoa dentro da organização pode ser um funcionário, gestor, proprietário, director, ou combinar todar essas funções. Numa empresa familiar, no entanto, a situação torna-se mais complexa, na medida em que um indivíduo pode ter múltiplas funções e responsabilidades. Esses papéis múltiplos são geralmente associados a diferentes incentivos, que aumentam os desafios que as empresas familiares enfrentam, em oposição às suas contrapartes não-familiares.[1]

1- Proprietários (Accionistas)

Os proprietários de uma empresa familiar têm várias funções e motivações que por vezes podem levar a opiniões divergentes. Por exemplo, a decisão de reinvestir os lucros na empresa, em vez de distribuí-los na forma de dividendos pode ser visto de forma diferente pelos vários proprietários, dependendo das suas outras funções na empresa. Um proprietário que trabalha numa empresa familiar não se pode opor a tal decisão pois ele/ela já está a receber o salário da empresa. Por outro lado, esta situação seria diferente a partir da perspectiva de um proprietário que não trabalha na empresa e baseia-se em dividendos como a principal fonte de receitas. Este proprietário estaria verdadeiramente interessado em receber dividendos mais elevados e frequentes.

A situação normalmente torna-se mais complexa quando a empresa familiar cresce e os seus proprietários detêm funções diferentes, com incentivos diferentes. Algumas das funções que um proprietário de uma empresa familiar pode ter são:

Proprietário apenas.

Proprietário/gestor.

Proprietário/membro da família.

Proprietário/membro da família/gestor.

Proprietário/director.

Proprietário/membro da família/director.

Proprietário/membro da família/director/gestor.

2- Gestores (Direcção da Empresa)

Os gestoresnuma empresa familiar também têm motivações diferentes, dependendo das suas funções dentro da empresa. Um problema comum nesta área é a desigualdade de tratamento dos gestores familiares e dos gestores sem laços familiares. Em muitas empresas familiares, uma parte ou todos os cargos de chefia são estritamente reservados aos membros da família. Isto pode afectar negativamente a motivação e o desempenho dos gestores sem laços familiares, cientes de que a sua assiduidade e entrega no trabalho nunca lhes dará acesso aos cargos de chefia na empresa. Como consequência, muitas empresas familiares acham bastante difícil atrair e reter os gestores competentes que não possuem quaisquer laços familiares. A adopção de uma política de emprego clara e justa (tanto para os membros da família como para os funcionários sem laços familiares) permite às empresas familiares manter os seus melhores funcionários motivados e interessados no crescimento da empresa. Essa política deve alinhar os incentivos dos funcionários ao seu desempenho, independentemente de fazerem parte da família ou não.

3- Administradores (Conselho de Administração)

Quando se trata da composição do conselho, a maioria das empresas familiares reserva esse direito aos membros da família e em alguns casos, a alguns gestores de confiança sem quaisquer laços familiares. Esta prática tem sido geralmente utilizada como uma forma de manter o controlo sobre a direcção da empresa. Na verdade, a maioria das decisões são normalmente tomadas pelos administradores membros da família. No exemplo anterior de distribuição de dividendos, os administradores membros da família que também são os gestores da empresa, naturalmente encorajam o reinvestimento dos lucros na empresa, de modo a aumentar o seu potencial de crescimento. Pelo contrário, os administradores membros da família que não trabalham na empresa preferem tomar a decisão de distribuir os lucros como dividendos aos accionistas membros da família. Estas visões contraditórias podem levar a grandes conflitos no conselho de administração, e ter um impacto negativo sobre a sua forma de funcionamento.

4- Os Membros da Família (A Família e suas Instituições)

Conforme mencionado anteriormente, os membros da família podem ter diferentes responsabilidades, direitos e expectativas da sua empresa. Esta situação pode levar a conflitos e problemas que podem comprometer a continuidade da empresa familiar. Um problema que pode aumentar os conflitos entre os membros da família é o nível de acesso à informação sobre a empresa e as suas actividades. Isto pode ser problemático pois os membros que trabalham na empresa geralmente têm acesso a essas informações em tempo útil, enquanto aqueles que estão fora da empresa não lhes podem ter igual acesso.[2] As empresas familiares devem estabelecer os canais de comunicação e instituições necessários para manter todos os membros da família informados sobre o negócio, a estratégia, os desafios e direcção geral para o rumo que a empresa está a levar.



[1] Fred Neubauer e Alden G.Lank, The Family Business: its Governance for Sustainability (Routledge Nova Iorque, 1998).

[2] Fred Neubauer e Alden G.Lank, The Family Business: its Governance for Sustainability: (Routledge Nova Iorque, 1998); Ivan Lansberg, Succeeding Generations : Realizing the Dream of Families in Business (Harvard Business School Press, 1999).

Copyright © 2016 IFC Corporate Governance.  All Rights Reserved. 

 Partilhar  Versão para impressão  Correio Electrónico
ComentáriosAvaliações (0)
If you are a human, do not fill in this field.
Clique nas estrelas abaixo para avaliar este item
   Os comentários serão truncados para 1000 carácteres