Partilhar  Versão para impressão  Correio Electrónico

Outras traduções

Capítulo 4 – Planificação de um EMS

Provided by the International Finance Corporation



Selecção de um grupo de tarefas ambientais
Prioridade de projectos
Criação de um plano e de uma equipa de acção
Plano de prevenção e prontidão para emergências

Selecção de um grupo de tarefas ambientais

As responsabilidades do grupo de tarefas ambientais compreendem identificação de formas de melhorar o desempenho ambiental da empresa, estabelecer objectivos e metas e monitorizar e avaliar a implementação.

A direcção executiva da empresa é responsável por seleccionar o grupo de tarefas ambientais, que implementará o EMS. É crucial obter total compromisso da direcção executiva antes de dar início ao processo. Também é importante obter apoio dos trabalhadores e partilhar os valores ambientais que irão tirar o EMS do papel e transformá-lo num processo eficaz.

A empresa deve investigar o conhecimento especializado dos seus trabalhadores para formar o grupo de tarefas, como sugere o gráfico a seguir.
 

Cargo

Função/tarefa

Direcção executiva

  • Comunicar a importância do EMS para toda a organização

  • Fornecer os recursos necessários

  • Avaliar o desempenho do EMS

Gestão de segundo escalão

  • Dar suporte à formação de novos trabalhadores

Recursos humanos

  • Definir os requisitos de competência e as descrições de cargo das diversas funções do EMS

  • Integrar a gestão ambiental aos sistemas de gratificações, disciplina e avaliação

  • Organizar formação ambiental com o grupo de tarefas ambientais

Manutenção

  • Implementar um programa de manutenção preventiva para os equipamentos

Marketing

  • Avaliar as respostas e procuras de mercado/clientes

Financeiro

  • Controlar os dados sobre custos da gestão ambiental

  • Preparar um orçamento  para o programa de gestão ambiental

  • Avaliar a viabilidade económica dos projectos

Engenharia

  • Considerar o impacto ambiental de produtos novos ou modificados e dos processos/fabricação/equipamentos envolvidos

  • Identificar oportunidades de prevenção contra poluição e o uso excessivo de matérias-primas

Compras

  • Monitorizar  as compras de materiais

  • Aquisição de materiais perigosos e destino dos resíduos


O número de pessoas envolvidas dependerá do tamanho da empresa e dos recursos disponíveis. Vale a pena envolver pessoal de departamentos diferentes no processo/grupo de tarefas de planificação e implementação, visto que uma abordagem multidisciplinar, muitas vezes, mostra ser mais bem sucedida.

Definição de objectivos e metas

Uma das etapas de maior desafio na planificação de um EMS é a determinação dos impactos ambientais. O grupo de tarefas ambientais avaliará as entradas da empresa, como energia e água; os seus produtos, como resíduos sólidos, água usada e névoa de óleo; e os seus processos de fabricação, como banho de metais. O grupo de tarefas ambientais também avaliará as compras, os processos e a produção de resíduos para identificar e classificar futuros projectos ambientais.

Os primeiros deveres do grupo de tarefas ambientais são avaliar as operações, os serviços e as actividades da organização e definir objectivos e metas. Isso também ajuda a empresa a medir a eficácia dos seus esforços ambientais e a melhorar o desempenho do sistema de gestão ambiental.

Uma meta ambiental pode ser minimizar o uso de certas substâncias químicas.  Uma meta é um requisito detalhado e quantificado derivado de objectivos específicos. Por exemplo, uma meta pode ser reduzir o uso da substância química X em 25 por cento até determinada data.

Considerações para a definição de objectivos e metas

  • Reduzir o impacto da empresa sobre o meio-ambiente.
  • Comparar a prática adoptada actualmente com a melhor prática possível.
  • Reduzir os custos e os passivos financeiros.
  • Aumentar a eficiência da empresa.
  • Definir objectivos e metas claros e específicos.

Use o Questionário para a definição de prioridades de objectivos e e metas, do capítulo 8, como auxílio para definir os seus objectivos ambientais, identificar áreas a aperfeiçoar e estabelecer prioridades.
 

Boletim de informações e prognósticos: Determinação de impactos ambientais

  • Identifique as áreas de maior eficácia em relação ao meio-ambiente e classifique-as de acordo com o alcance do impacto.

  • Envolva o maior número de pessoas possível no processo de identificação de impactos ambientais. Envolva a direcção executiva, os trabalhadores da linha de produção e pessoal dos vários departamentos, como ambiental, saúde e segurança, projecto de produtos, engenharia, administração de linha, manutenção, compras, remessa/recebimento ou outros, conforme apropriado.

  • Considere ter acesso informações de outras partes externas interessadas que possam agregar valor à pesquisa. Expanda a análise para incluir actividades externas, como serviços no local do cliente. As operações fora das instalações também podem trazer potenciais impactos ambientais.

  • Considere as condições normais e anormais ao analisar impactos ambientais.

  • Para identificar questões ambientais, tenha em conta também as actividades auxiliares. Parte da pior poluição origina-se de instalações de apoio, como complexos de tanques e locais de tratamento de água usada.

  • Lembre-se de que a fase em que é mais fácil e barato eliminar problemas ambientais é durante os primeiros estágios do projecto de produtos e processos. É também durante estes estágios que os produtos podem ser modificados a fim de reduzir o consumo de água.

  • Para seleccionar prioridades, leve em conta questões como custo versus benefícios, disponibilidade de tecnologia apropriada e futuras normas legislativas.

  • As áreas terão prioridades diferentes. Por exemplo, emissões atmosféricas podem ser mais importantes do que o uso do terreno.

  • Programar sessões colectivas de ideias pode ser benéfico para obter sugestões do pessoal de diferentes áreas.

 

Boletim de informações e prognósticos: Avaliação empíricaA equipa de avaliação pode programar uma visita ao local para observar potenciais impactos ambientais.

  • A instalação mostra sinais de má organização rotineira, como passagens obstruídas, pisos sujos ou tambores de materiais destapados?

  • Há derramamentos, recipientes furados ou água escorrendo ou gotejando de maneira perceptível?

  • Há descoloração ou corrosão nas calçadas, áreas de trabalho, tectos e paredes ou canos? Isso pode indicar vazamentos do sistema ou falta de manutenção dos equipamentos.

  • Há fumaça, sujidade ou vapores indicando perdas de material e poluição do ar?

  • Há odores ou irritação de olhos, nariz ou garganta ao entrar no local de trabalho? Estes sintomas podem indicar vazamentos do sistema ou outros problemas.

  • Há recipientes abertos, tambores empilhados, prateleiras para armazenamento insuficientes ou outros indicadores de procedimentos de armazenamento insatisfatórios?

  • Todos os recipientes encontram-se adequadamente rotulados quanto a conteúdo e riscos?

  • Há equipamentos de emergência, como extintores de incêndio, disponíveis e visíveis para garantir resposta rápida a fogo, derramamento ou outro incidente?

  • Resíduos como gotejamento de água, vapor ou evaporação estão a ser perceptivelmente gerados pelos processos na instalação?

  • O stock contém algum suprimento vencido ou há materiais fora de uso ainda armazenados?

  • Os trabalhadores têm algum comentário sobre as fontes de resíduos da instalação?

  • Existe um histórico documentado de derramamentos, vazamentos, acidentes ou incêndios na instalação? Em caso afirmativo, que processos estavam implicados?

 
Prioridade de projectos

Após recolher as informações pertinentes e definir os objectivos e as metas do gestão ambiental, a empresa deve estabelecer a prioridade dos seus projectos ambientais. Frequentemente, são identificados mais projectos do que se pode verdadeiramente tocar de imediato, seja por falta de pessoal ou de fundos. A prioridade de projectos irá determinar o que deve ser feito primeiro. Este estágio requer tempo e dedicação do grupo de tarefas ambientais e é crucial para a implementação do EMS.

As duas tabelas a seguir ajudam na definição de prioridades nos projectos. A primeira tabela classifica o grau de impacto e o período de ocorrência, conveniente para determinar prioridades para as diferentes áreas e seleccionar uma equipa de acção adequada. Também auxilia o exame de avaliação, sugerindo uma sequência de actividades a monitorizar. A segunda oferece uma análise mais minuciosa, útil para a classificação dos projectos em prioridades.
 

TABELA 1  -  GRAU DE IMPACTO E PERÍODO DE OCORRÊNCIA

Nenhum risco  = N         risco Baixo  =  B         risco Moderado = M          Alto risco  = A

 

Pré-produção

Durante a fabricação

Produção/
distribuição

Serviços auxiliares

Uso/
serviços

Gestão de resíduos
Energia            

Perda

           

Água

           

Projecto de produtos

           

Matéria-prima

           

Embalagem

           

Uso/descarga
de água

           

Fontes/utilização de energia

           

Armazenamento no local

           

Emissões/descargas

           

Recolha do lixo

           

Transporte e distribuição

           

Gestão de resíduos sólidos e perigosos

           

Papel e polpa

           

Seguro

           

Local/edificação

           

Leis e regulamentações

           
 
A segunda tabela fornece um estado mais detalhado do projecto nas diversas categorias. O objectivo de ambas é ajudar o grupo de tarefas ambientais a identificar áreas problemáticas, estabelecer prioridades e encontrar soluções viáveis. Todos os impactos ambientais relevantes devem ser especificados em cada categoria.

TABELA 2 - SIGNIFICÂNCIA DOS IMPACTOS

Nenhum risco  = N         risco Baixo  =  B         risco Moderado = M          Alto risco  = A

 

Gravidade do impacto

Probabilidade de ocorrência de riscos

Exposição potencial permitida por lei e pelas normas legislativas

Custo de redução do impacto

Custo/benefício (MTn)

Efeito sobre a imagem pública

Energia

           

Perda

           

Água

           

Projecto de produtos

           

Matéria-prima

           

Embalagem

           

Uso/descarga
de água

           

Fontes/utilização de energia

           

Armazenamento no local

           

Emissões/descargas

           

Gestão de resíduos sólidos

           

Destino dos resíduos

           

Transporte e distribuição

           

Resíduos sólidos e perigosos

           

Papel e polpa

           

Seguro

           

Local/edificação

           

Leis e regulamentos

           

Criação de um plano e uma equipa de acção

Deve ser criada uma equipa de acção para cada projecto. Equipas de acção são pessoal com a capacitação técnica  e de gestão necessária para determinar as melhores maneiras de efectuar as mudanças identificadas no plano de acção. Devem ser disponibilizados recursos humanos que apresentem as capacidades e a disponibilidade exigidas. A empresa também deve considerar a contratação de trabalhadores temporários ou consultores para que desenvolvam parte da documentação e reúnam as informações necessárias para o êxito do EMS.

A abordagem em equipa e a consciência dos trabalhadores são fundamentais para o êxito da implementação de um EMS.  Uma vez que pode não haver um trabalhador que possa dedicar - se exclusivamente à gestão de assuntos ambientais, a abordagem em equipa também proporciona motivação e união de especialidades.

O grupo de tarefas ambientais deve trabalhar estreitamente com cada equipa de acção, fornecendo informações, trocando ideias e auxiliando a implementação de mudanças. O grupo de tarefas ambientais deve reduzir a necessidade de consultores externos e manter o avanço do plano de acção da empresa. É provável que haja a necessidade de outras formações para os membros da equipa de acção.

O grupo de tarefas ambientais irá desenvolver um plano de acção para cada projecto. A finalidade do plano de acção é alocar recursos humanos, estabelecer marcas de referência, custos e cronogramas, delinear etapas claramente definidas para atingir as metas e monitorizar o progresso.

Criação de um plano de acção

O plano de acção é um dos alicerces de um EMS. Ele pode ser visto como uma série contínua de análises e aperfeiçoamentos, como mostra o seguinte diagrama:

Diagnóstico

1.  Reunir e analisar dados
2.  Definir objectivos e metas.

Avaliação

Verificar e melhorar
 

Intervenção

1.  Redigir o plano de acção
2.  Implementar as mudanças

 
Uma vez identificados os impactos ambientais e depois de a gestão ter definido quais projectos serão efectuados primeiro, deve ser redigido um plano de acção para cada projecto. Os melhores resultados na formulação de um plano de acção são obtidos quando o grupo de tarefas ambientais e os técnicos especialistas juntos encontram soluções .

Não é necessário dar conta de todos os impactos de uma só vez. Primeiro, devem ser implementadas medidas nas áreas mais importantes, deixando problemas menores para uma data posterior. O plano de acção deve, ainda, ser flexível o bastante para acomodar modificações de acordo com mudanças de prioridade e circunstâncias internas e externas.

O modelo de plano de acção a seguir ajudará a lidar com áreas críticas na análise de projectos e a criar um plano de acção eficaz.

Modelo de plano de acção

Impacto ambiental e problemas a resolver.
Categoria: 
Assunto:   

Objectivos e metas específicos. Por exemplo, considere o uso de um gráfico como o seguinte:


 

Objectivo

Meta

Reduzir as emissões de compostos orgânicos voláteis

Reduzir emissões em 10 por cento em 2000

Reduzir o uso de energia

Reduzir o uso de electricidade em 15 por cento em 2000
Reduzir o uso de gás natural em 20 por cento em 2000

Reciclar resíduos de papelão

Reciclar 50 por cento dos resíduos de papelão em 2001

Aumentar a conformidade com os limites permitidos de descarga de água usada

Violação zero dos limites permitidos até o final de 2001

Promover actividades ambientais

Promover actividades ambientais por meio de cartas anexadas aos volantes de pagamento

Reduzir a energia utilizada em operações de fabricação

Alcançar 10 por cento de redução no consumo de energia em relação ao ano anterior

Reciclar garrafas plásticas

Reciclar 50 por cento das garrafas plásticas em 2000 e
100 por cento em 2001

  • Equipa de acção e líder da equipa. A equipa pode conter representantes do grupo de tarefas ambientais, saúde e segurança, projecto de produtos, engenharia, administração de linha, manutenção ou outras funções, conforme apropriado. Crie equipas de trabalho de acordo com a especialidade e a disponibilidade dos membros da equipa de acção.
     
  • Impactos ambientais em todo o ciclo de vida do projecto. Considere os estágios do projecto no ciclo de vida dos produtos, serviços e actividades da organização. Avalie os impactos ambientais em todo o ciclo de vida do produto, começando pelo projecto inicial do produto, a aquisição de matérias-primas e prosseguindo por todos os estágios de processamento, armazenamento, fabricação, distribuição, transporte e descarte final. Um fluxograma do processo operacional da empresa propicia uma visão clara da maneira pela qual as suas actividades são conduzidas e pode ajudar a localizar exageros e pontos fracos.
     
  • Etapas para eliminar ou minimizar impactos ambientais negativos. Existem muitas maneiras de reduzir impactos  ambientais adversos. Para obter uma lista de técnicas a considerar, consulte o Boletim de informações e prognósticos: Técnicas de abordagem de problemas ambientais a seguir.
     
  • Informações e recursos necessários para a execução da tarefa e pessoas para auxiliar a equipa de acção. Atribua pessoal que recolha informações de apoio para que a equipa de acção determine procedimentos para minimizar ou eliminar impactos ambientais negativos. Procure informações ainda não classificadas como "ambientais,", como dados operacionais, relatórios de gestão, relatórios de auditoria, regulamentações e permissões de uso de água e energia. Além disso, existem fontes de informação úteis fora da empresa e na Internet. Para obter mais informações sobre recursos, consulte o capítulo 11.
     
  • Programação de actividades, datas e prazos.
     
  • Avaliação do desempenho. Em essência, resume-se ao 'plano do projecto' em relação ao qual as diversas fases do plano de acção são monitorizadas.  Cria um indicador de desempenho. Avaliar o desempenho é crítico em todo empreendimento importante. Aquilo que é avaliado, é administrado. Para obter mais informações sobre a formulação de um sistema de avaliação, consulte o capítulo 6.
     
  • Benefícios previstos.  Alguns benefícios dos progressos ambientais são intangíveis e não podem ser medidos directamente. Porém, é importante reconhecê-los.
     
  • Custos de investimento. É necessário formular um orçamento para todas as diferentes fases de implementação do EMS. É difícil determinar um preço para a implementação, mas destine fundos para cada projecto sustentar o seu desenvolvimento. No caso de pequenas e médias empresas , implementar um EMS pode depender mais de recursos humanos do que de recursos financeiros.
     
  • Data para a primeira avaliação e subsequentes. Uma revisão regular dos progressos deve ser feita. Ela também ajuda a identificar factores que devem ser superados ou que necessitem de atenção especial para assegurar o êxito do plano.

Boletim de informações e prognósticos: Técnicas de abordagem de problemas ambientais

  • Reprojectar. Altere o projecto do produto ou processo para eliminar ou reduzir eventuais impactos ambientais negativos.

  • Substituir. Tente eliminar ou reduzir os impactos ambientais negativos substituindo uma fonte de resíduos por outro material com menor probabilidade de prejudicar o meio-ambiente. Um exemplo de embalagem: os flocos de poliestireno poderiam ser substituídos por flocos feitos de subprodutos do milho, que têm maior probabilidade de desintegração natural.

  • Reduzir. Reduza a quantidade de produtos residuais diminuindo o uso de componentes ou materiais que os criem ou os aumentem significativamente.

  • Reciclar.  Normalmente, requer a quebra de um produto (ou as suas peças) ou processo (ou os seus componentes) nos seus componentes básicos, que passarão por refabricação.

  • Reformar. Restaurar um produto ou processo a sua condição original ou a uma condição similar. A reforma recupera algumas peças ou componentes; outras, porém, devem ser substituídas. Quanto maior o número de peças/componentes recuperados, mais eficiente é a reforma.

  • Refabricar. Restaurar um produto ou processo a sua condição original ou a uma condição ainda melhor, sem ter que reduzir nenhuma peça a matéria-prima.

  • Reutilizar. Restituir o material à mesma aplicação e na mesma forma.

  • Consumir internamente. Use os resíduos internamente quando possível. Por exemplo, paletes de madeira podem ser usados para produzir electricidade quando utilizados como parte de uma instalação co-geradora.

  • Prolongar o uso. Aumente a vida útil global do produto estendendo o seu uso. Um programa de manutenção preventiva eficaz é essencial para o prolongamento do uso.  Por exemplo, motores de automóvel ou unidades de refrigeração podem ser reprojectados de modo a ampliar os períodos entre as vistorias, mantendo, ainda assim, níveis aceitáveis de segurança e fiabilidade.

  • Diluir os riscos. Transfira a responsabilidade para um terceiro que esteja mais capacitado para lidar com o produto ou processo. Esta opção é adoptada com frequência quando a gestão sente que não é capaz de reduzir o nível do problema ambiental associado a um produto ou processo. Ao chamar uma parte especializada, a gestão tenta diluir o risco; por exemplo, utilizar um serviço de descarte para desmontar e desfazer-se de uma linha de montagem velha.

  • Criar um mercado para produtos residuais. Procure compradores para os resíduos da empresa e ajude a criar um mercado para eles. Por exemplo, um fabricante de móveis que transforme as suas aparas em prateleiras para uso na bagageira de viaturas. Ou uma terceira empresa que apareça para recolher as aparas desse e de outros fabricantes de móveis da área. Como resultado, cria-se um mercado viável para as aparas.

  • Separar o lixo. Os produtos residuais devem ser separados segundo os seus diferentes tipos antes da reciclagem, reutilização ou consumo interno. A separação dos resíduos é uma acção intermediária para facilitar reutilização ou reciclagem.

   

Boletim de informações e prognósticos: Filtrando e identificando melhorias nas aplicações práticas implementadas

  • Como a opção funcionou em aplicações similares?

  • A opção está dentro do orçamento, considerando-se capital e custos contínuos?

  • A opção tem um período aceitável de retorno do investimento (até um ano é considerado excepcional; até três anos, bom)?

  • A opção reduz os custos da empresa com matéria-prima, consumo de energia  e/ou poluentes?

  • A opção reduz os custos da empresa com destino de resíduos e/ou custos de armazenamento de materiais e resíduos?

  • A opção reduzirá os custos da empresa associados a ferimentos ou enfermidades de trabalhadores?

  • A opção reduzirá os prémios de seguro da da empresa?

  • A opção possui um registo de controlo comprovado?

  • A opção mantém ou melhora a qualidade dos produtos?

  • A opção afectará de maneira adversa ou aumentará a produtividade?

  • Há espaço disponível, caso seja necessário?

  • Os serviços de utilidade pública estão disponíveis ou devem ser instalados?

  • Os novos equipamentos, materiais ou procedimentos são compatíveis com os procedimentos de operação da produção, o fluxo de trabalho e as taxas de produção?

  • É necessária alguma especialização para operar ou manter o novo sistema? Há a necessidade de mais mão-de-obra?

  • É indubitável que a opção produzirá menos resíduos?

  • É indubitável que a opção não moverá, apenas, os problemas com resíduos de uma parte ou local para outro da operação global (por exemplo, de resíduos sólidos para emissões atmosféricas)?

  • A apresentação e o projecto da planta são capazes de incorporar a opção?

  • Foi determinado que a opção aumentará ou manterá a segurança e a saúde dos trabalhadores?

  • Os materiais e peças estão facilmente disponíveis?

  • O fornecedor oferece um serviço aceitável e confiável?

  • Existem outras empresas que utilizam a opção?

  • A opção promove a reciclagem?

   

Boletim de informações e prognósticos: Maneiras de reduzir o desperdício

  • Mude as operações da planta e/ou os procedimentos, melhorando a organização rotineira e formando os trabalhadores sobre formas de reduzir o desperdício.

  • Materiais não tóxicos substitutos no processo de produção.

  • Recupere (recicle) materiais durante o processo de produção.

  • Modifique o equipamento para aumentar a eficiência.

  • Projecte novamente o produto final para eliminar processos que criem resíduos.

  • Padronize os materiais ou use o número mínimo de tipos de materiais no processamento. Isso aumenta o potencial de reciclagem e reduz a quantidade de resíduos com necessidade de destino.

  • Proporcione espaço adequado de corredor para transferência de recipientes e fácil acesso para inspecções.

  • <p

Copyright © 2000 - 2016, International Finance Corporation. All Rights Reserved.

 Partilhar  Versão para impressão  Correio Electrónico
ComentáriosAvaliações (0)
If you are a human, do not fill in this field.
Clique nas estrelas abaixo para avaliar este item
   Os comentários serão truncados para 1000 carácteres