Página Inicial  > Mitos comuns sobre sites
 Partilhar  Versão para impressão  Correio Electrónico

Outras traduções

Mitos comuns sobre sites

Adapted from content excerpted from the American Express® OPEN Small Business Network


Há muitas informações incorrectas sobre o mercado de sites. Muitas empresas de pequena dimensão têm dificuldades em separar o anúncio comercial exagerado da realidade. O ponto principal é determinar se o site é adequado para si e, então, usar métodos apropriados para explorar o poder do marketing. A seguir estão enumerados alguns mitos sobre World Wide Web, assim como algumas dicas para tornar o

Mito 1: Todas as empresas de pequena dimensão precisam ter um site

Enquanto muitas empresas têm benefícios ao desenvolver e manter o seu próprio site, é importante perceber não são todas as empresas que precisam usar esse tipo de marketing. É necessário usar um site se:

  • Os seus clientes estão on-line.
    Se os seus clientes compram e obtêm informações via Web, então precisa de ter um site. Se, por outro lado, eles usam outras fontes para obter a maior parte das informações (seja as Páginas amarelas, jornais e revistas, exposições, ou outros veículos de marketing) centre os seus esforços nessas áreas.

  • Deseja alcançar clientes nacionais ou internacionais de maneira efectiva.
    A Web não é uma forma de marketing "local". É claro que ela tem um amplo alcance, por isso, tire proveito disso. Por exemplo, talvez um empreiteiro local de um bairro residencial de Nova York não consiga retirar todas as vantagens do site, pois tem um público bem específico. Um distribuidor de doces, com entregas em todo território nacional, tem mais condições para aproveitar todo o amplo alcance da Web.

  • Um site é compatível com os seus objectivos de mercado e orçamento.
    O seu site tem de fazer parte do plano de marketing totalmente integrado e orçamento. É importante transmitir uma mensagem em todas as ferramentas usadas.

  • A Web pode substituir, ou ser mais eficaz que, outras opções de marketing
    Os seus clientes podem, por meio da Web, ter acesso imediato às informações que demorariam dias ou semanas para serem obtidas de outras maneiras. Por exemplo, um fotógrafo comercial que coloca seu portefólio na Web pode direccionar os possíveis clientes para o seu site em vez de arcar com os custos para enviar a todos os clientes.

  • Comprometa-se com o seu site
    Um site precisa de atenção constante. Está disposto a mantê-lo actualizado? Compromete-se a adicionar novos conteúdos mensalmente? Tem tempo e dinheiro para administrá-lo adequadamente? Se não estiver disposto a fazer isso, contrate uma pessoa para fazê-lo. Caso contrário, os seus esforços para usar a Web serão desperdiçados.

Mito 2: Um site nivela automaticamente o campo de actuação entre o meu pequeno negócio e seus grandes concorrentes

Sim, um profissional a gerir um site pode fazer com que o seu pequeno negócio pareça maior do que realmente é. Porém, sem um plano e implementação eficazes, o seu site, na verdade, pode parecer menos profissional do que é, deixando-o competitivamente em desvantagem.

Use a Web para mostrar a sua especialidade. Ao revelar o seu conhecimento, apresenta-se como um especialista e atrai clientes, além de deixá-los interessados nos produtos ou serviços oferecidos.

Para parecer maior do que realmente é, tenha o seu próprio nome do domínio. Um endereço da Web como "www.nomedesuaempresa.com" é muito mais fácil de encontrar e transmite uma imagem mais profissional do que usar um sub-endereço do ISP ou serviço on-line (www.seuISP.com/~suaempresa). O custo de registo do domínio é mínimo e muitos ISPs hospedam o seu site com esse nome por uma pequena taxa mensal. Pergunte ao ISP sobre como fazer isso.

Outra armadilha é usar tecnologia apenas porque ela existe. Usar campainhas e apitos apenas porque eles parecem "legais", na verdade, pode prejudicar o seu negócio. Veja o seguinte exemplo: a página inicial de uma empresa de consultoria mostra um "contabilista" comum a informar quantas pessoas visitaram a página. Infelizmente, mostra que o site foi pouco visitado e, portanto, faz com que se pergunte se as informações são precisas e convincentes. Sem o contabilista, pode ter lido o conteúdo sem considerar isso.

Mito 3: Construa um site e as pessoas irão aglomerar-se para conhecer a empresa

Não pense que as pessoas encontrarão o site sozinhas. Incentive a visita por meio de promoções activas na Internet e em materiais de marketing tradicional. Estes são alguns métodos comuns:

Registe o site em todos os principais mecanismos de pesquisa, como Yahoo!, Excite, Infoseek, Lycos e Hotbot. Há muitos outros serviços que registam a URL em diversos mecanismos e directórios por uma taxa simbólica – um serviço muito conhecido é Submit It. No entanto, saiba que, enquanto esses serviços estiverem a registar o site, não será possível decidir como o seu site será descrito.

Troque links ou anúncios em sites com empresas não concorrentes que tenham serviços ou produtos complementares. Envie um e-mail para o administrador do site ao qual pretende vincular-se e ofereça um acordo de vínculo recíproco. Destaque, no e-mail, as vantagens mútuas em criar esse link. Serviços como Link Exchange permitem trocar links com outras empresas, oferecendo anúncios gratuitos em sites directamente proporcionais ao número de anúncios no seu site.

Ofereça apoio à URL em todo o prospecto de marketing. Coloque o endereço do site em todos os seus anúncios, nos panfletos dos produtos e nos cartões de visitas e timbres. Inclua-o na assinatura dos seus e-mails, para que os clientes possam ir automaticamente das mensagens para o site.

Copyright © 1995-2016, American Express Company. All Rights Reserved.

 Partilhar  Versão para impressão  Correio Electrónico
ComentáriosAvaliações (0)
If you are a human, do not fill in this field.
Clique nas estrelas abaixo para avaliar este item
   Os comentários serão truncados para 1000 carácteres